Inscrições abertas para o Prêmio Mundial de Negócios e Desenvolvimento

O World Business and Development Awards (Prêmio Mundial de Negócios e Desenvolvimento) abriu inscrições para um concurso global de iniciativas do setor privado que estejam alinhadas à Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. As empresas brasileiras terão uma categoria especial nesta edição do concurso, como forma de homenagem ao Brasil, país sede da Rio+20.

Empresas pequenas, médias e grandes, de qualquer parte do mundo, que se empenham na melhoria das condições sociais, econômicas e ambientais podem se candidatar pela internet até o dia 13 de abril de 2012, baixando o formulário (em inglês) aqui. A cerimônia de premiação será no dia 19 de junho, quando governos se reunirão no Rio de Janeiro para a Conferência Rio+20, fechando o Dia da Ação Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável.

O prêmio é organizado a cada dois anos pela Câmara Internacional do Comércio (ICC, na sigla em inglês), pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e pelo Fórum Internacional de Líderes Empresariais (IBLF, na sigla em inglês). O objetivo é mostrar como as empresas podem envolver as comunidades para ajudar a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) – oito metas acordadas internacionalmente para reduzir a pobreza e a degradação ambiental e melhorar as condições de saúde e igualdade de gênero até 2015.

“Quando as empresas dedicam suas atividades a ajudar a superar os desafios do desenvolvimento e medem seus resultados não só pelo lucro, mas tambem por resultados sociais, não há limite para o que pode ser alcançado”, disse Clare Melford, Diretora do Fórum Internacional de Líderes Empresariais. “Esperamos que o prêmio mais uma vez estimule empresas de qualquer porte e em todas as regiões a apresentar os seus melhores exemplos e assim ajudar a acelerar o progresso para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.”

As premiações de 2012 serão exclusivamente para empresas que demonstram modelos empresariais que ajudam a combater a pobreza, com soluções sustentáveis que ampliem o acesso a bens, serviços e oportunidades de subsistência para comunidades de baixa renda, gerando ao mesmo tempo vendas e aumento dos lucros.

Antes da cerimônia de premiação no Rio de Janeiro haverá um workshop sobre negócios inclusivos. O World Business Development Awards oferece também uma plataforma para que empresas e empreendedores compartilhem experiências e promovam melhores práticas após a Conferência Rio+20, incentivando outras empresas e governos para que se inspirem e implementem as iniciativas.

Uma comissão internacional – constituída por representantes das instituições que organizam o prêmio, bem como organizações não governamentais, universidades, empresas e instituições internacionais – vai julgar os vencedores deste ano.

Na edição anterior, em 2010, entre associações empresariais, ONGs e empresas privadas de mais de 42 países, um número recorde de 172 iniciativas se inscreveram. As 10 empresas vencedoras mostraram iniciativas variadas: de moradias para a população de baixa renda no México, assistência a agricultores em Serra Leoa à oferta de serviços de saúde materna na Índia.

“Os vencedores anteriores já provaram que empresas podem ser essenciais para gerar crescimento e desenvolvimento sustentável,” disse Helen Clark, Administradora do PNUD. “Elas podem ser uma fonte de inovação e soluções sustentáveis que ajudam a melhorar as vidas das pessoas.”

“O prêmio destaca o papel fundamental do setor privado para estimular o crescimento econômico sustentável e o desenvolvimento; algo fundamental num momento em que o ambiente econômico atual ameaça o progresso para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio,” disse o Secretário-Geral da Câmara Internacional do Comércio, Jean-Guy.

Mais informações

PNUD no Brasil: Daniel de Castro, daniel.decastro@undp.org – Fone: +55 61 3038 9117

ICC: Dawn Chardonnal, dawn.chardonnal@iccwbo.org – Fone: +33 1 49 53 29 07

IBLF: Jessica Scholl, jessica.scholl@iblf.org – Fone: +44 20 7467 3632

Fonte: PNUD Brasil

Programa pelo Direito de Ser Criança

O Programa pelo Direito de Ser Criança é uma ação realizada a partir da parceria entre a marca OMO (Unilever) e o Instituto Sidarta, que reconhecem e premiam instituições de ensino que valorizam a importância do brincar e do aprender pela experiência em suas práticas escolares.

O Programa pelo Direito de Ser Criança é destinado aos profissionais de educação das escolas da rede pública e privada de todo o Brasil, que atuam com crianças do Educação Infantil e Ensino Fundamental Nível I.

São duas categorias:

  • Selo Aqui se brinca – destinado as Escola de Educação Infantil;
  • Selo Aqui se aprende – destinado as Escolas de Ensino Fundamental nível I.

O critério de avaliação será estabelecido mediante os cinco pilares conceituais do Programa

Direito de aprender através de brinquedos não estruturados Valoriza o tempo e o espaço do brincar na escola, a criança como sujeito desse brincar e a utilização de materiais de baixo custo, simples e essenciais.

Direito de viver o mundo através da experiência Valoriza a experiência individual e subjetiva, bem como a criança como sujeito de seu aprendizado.

Direito de estar em contato com a natureza Valoriza o contato dos alunos com a natureza e seus elementos.

Direito de experimentar o cuidado com o planeta e com a sociedade Valoriza a escola que adote práticas sustentáveis e socialmente responsáveis gerando posturas reflexivas entre os alunos.

Direito de vivenciar a cultura local Valoriza a escola que reconheça a cultura local de seus alunos e da região onde está inserida, destacando seus aspectos comunitários, festivos e de participação comunitária e familiar dentro da realidade e espaços escolares.

Para obter mais informaçoes sobre o processo seletivo acesse o regulamento

http://www.pelodireitodesercrianca.com.br/Regulamento

O prazo de inscrição se encerra em 03 de dezembro, e os formulários encontram-se disponíveis no site:

Aqui se brica

http://www.pelodireitodesercrianca.com.br/Participe

Aqui se aprende

http://www.pelodireitodesercrianca.com.br/Aprende

Mais informações:

http://www.pelodireitodesercrianca.com.br/

Fonte: Programa pelo Direito de Ser Criança

Prêmio Instituto Claro – Novas formas de aprender

O Instituto Claro, com o intuito de disseminar a sua causa, lançou no dia 24 de junho o Prêmio Instituto Claro – Novas formas de aprender, que tem como objetivo estimular e reconhecer iniciativas que potencializem o uso das novas tecnologias de informação e comunicação para o desenvolvimento de oportunidades de aprendizagem inovadoras.

São três modalidades: Pesquisa, Desenvolvimento e Vivência, e o Prêmio é destinado a estudantes de graduação, curso técnico e pós-graduação; instituições educativas formais e não-formais; educadores e professores.

No total, mais de R$ 100 mil serão concedidos pelo Instituto Claro a projetos e propostas alinhados ao objetivo desse prêmio, segundo avaliação da comissão técnica, composta por especialistas em educação e tecnologia.

As inscrições vão de 24 de junho a 4 de setembro e serão feitas pelo Portal do Instituto, onde estarão disponíveis o regulamento e fichas de inscrição para cada modalidade e categoria.

A premiação acontecerá no mês de outubro em São Paulo, em data a ser anunciada pelo Instituto.

Mais informações no Portal do Instituto www.institutoclaro.org.br .

Regulamento:

http://www.institutoclaro.org.br/uploads/regulamento.pdf 

Dúvidas

http://www.institutoclaro.org.br/uploads/duvidas-frequentes-instituto-claro.pdf 

 Ficha de Inscrição: Pesquisa

 http://www.significa.comercial.ws/Projetos/login.aspx?prog=20

 Ficha de Inscrição: Desenvolvimento

 http://www.significa.comercial.ws/Projetos/login.aspx?prog=15

 Ficha de Inscrição: Vivência 

 http://www.significa.comercial.ws/Projetos/login.aspx?prog=18

Prêmio Instituto Claro estimula e reconhece iniciativas

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Instituto Claro – Novas formas de aprender. Com o objetivo de estimular e reconhecer iniciativas que potencializem o uso das novas tecnologias de informação e comunicação para o desenvolvimento de oportunidades de aprendizagem inovadoras, o Prêmio é dividido em três modalidades: Pesquisa, Desenvolvimento e Vivência.

As inscrições vão até o dia 4 de setembro e serão feitas pelo Portal do Instituto – http://www.institutoclaro.org.br, onde estarão disponíveis o regulamento e fichas de inscrição para cada modalidade e categoria. No total, mais de R$ 100 mil em prêmios serão concedidos ao longo de 2010 pelo Instituto Claro a projetos de pesquisa científica, propostas para o desenvolvimento de iniciativas que utilizam novas tecnologias no processo de aprendizagem e relatos de práticas educacionais por meio de recursos tecnológicos. Podem participar estudantes de graduação, curso técnico e pós-graduação; instituições educativas formais e não-formais; e professores e educadores.

Os projetos serão avaliados por uma comissão técnica composta por especialistas em educação e tecnologia. A premiação acontecerá no mês de outubro em São Paulo, em data a ser anunciada pelo Instituto, durante Seminário que contará com a presença de convidados que são referências no tema.

Confira abaixo os públicos-alvos, requisitos e descrição de cada modalidade.

Pesquisa

A modalidade Pesquisa pretende estimular estudantes a desenvolverem pesquisas científicas que explorem a temática da causa do Instituto Claro: aprendizagem com as novas tecnologias. Subdivide-se em duas categorias: Graduação e Curso Técnico, que inclui trabalhos de iniciação científica e de conclusão de curso; e Pós-Graduação (Lato Sensu e Strictu Sensu), que inclui trabalhos de especialização, mestrado e doutorado.

Para se inscrever nestas categorias, o estudante deve estar regularmente matriculado e com o projeto ou trabalho de pesquisa a iniciar ou em andamento, tendo de 6 a 12 meses para terminá-lo a partir da data de premiação. Cada categoria terá uma pesquisa premiada. O trabalho vencedor de Graduação e Curso Técnico receberá R$ 5 mil e o de Pós-Graduação levará R$ 16 mil para financiar o desenvolvimento de parte ou totalidade do projeto.

Desenvolvimento

Esta modalidade foi criada para incentivar instituições educativas – formais e não-formais -, desde escolas e universidades a ONGs e outras associações e organizações, a implementar, manter ou complementar projetos e ideias inovadoras relacionadas à causa do Instituto Claro. O requisito para se inscrever na modalidade é que o projeto esteja para ser iniciado ou em andamento, e que seja finalizado de 6 a 12 meses após a data de premiação. O número de premiados da modalidade Desenvolvimento não é pré-definido e será determinado pela comissão técnica. O valor total que será distribuído entre os vencedores é de R$ 80 mil.

Vivência

O objetivo da modalidade Vivência é reconhecer os melhores relatos de práticas educacionais implementadas por professores e educadores a favor da causa do Instituto. As práticas devem estar em andamento por no mínimos seis meses ou concluídas no momento em que o educador for efetuar sua inscrição, e não podem ser anteriores a janeiro de 2006. A participação nesta modalidade pode ser individual ou em equipe. Duas práticas serão premiadas com um notebook cada.

O Instituto Claro foi lançado em março de 2009 e tem como missão estimular a discussão e o desenvolvimento de oportunidades de aprendizagem inovadoras e lúdicas, por meio das novas tecnologias de informação e comunicação. Ao eleger a causa da educação, o Instituto incentiva e apoia a revisão, a discussão e a inovação dos processos de ensino e de aprendizagem, compatíveis com a realidade e demandas atuais da sociedade. Sua iniciativa central é o Portal Integrado (http://www.institutoclaro.org.br), que conta com informações institucionais, além do Observatório e do Laboratório. Uma das finalidades do Portal é divulgar e reconhecer estudos, pesquisas acadêmicas e ações que discutam o impacto das novas tecnologias na aprendizagem, além de disponibilizar jogos e outros recursos para que as pessoas possam, de fato, experimentar formas lúdicas e interativas de aprender. Outros projetos, como a edição de 2009 do Claro Curtas, festival nacional de curtas-metragens, também são gerenciados pelo Instituto. Além disso, estão previstas ações direcionadas ao público interno da Claro, como o Programa de Voluntariado e Doação ao FIA (Fundo da Infância e da Adolescência), com o objetivo de fortalecer o engajamento dos funcionários com a prática de ações sociais.

Regulamento: http://www.institutoclaro.org.br/uploads/regulamento.pdf

Mais informações sobre a Claro: http://www.institutoclaro.org.br/instituto-claro/nossos-projetos/premio-instituto

 Fonte: Envolverde/Pauta Social

Bndes seleciona projetos

Natureza e Finalidade

Constituído com parte dos lucros anuais do BNDES, apóia projetos de caráter social nas áreas de geração de emprego e renda, serviços urbanos, saúde, educação e desportos, justiça, meio ambiente, desenvolvimento rural e outras vinculadas ao desenvolvimento regional e social.

 

Modalidades de Operação

1) Seleção Pública

A seleção dos projetos enviados ao BNDES ocorrerá nos segmentos sociais estratégicos das áreas supracitadas e de acordo com edital previamente publicado.

Objetivos:
  • contribuir para a solução de um problema de amplitude previamente delimitado, atingindo um grau significativo de benefício sobre determinada área geográfica ou tema prioritário;
  • causar efeito demonstrativo e de difusão de boas práticas capazes de serem aplicadas em diversas localidades.

2) Premiação

Processo de reconhecimento e difusão de práticas exemplares, já implementadas, em temas estabelecidos, pelo BNDES, mediante a outorga de prêmio em valor pecuniário. A premiação será realizada a partir de edital publicado especificamente para esta finalidade.

Objetivos:
  • reconhecer as melhores práticas e a acumulação de conhecimento sobre os diferentes temas.

3) Apoio Continuado

O BNDES oferecerá apoio permanente a projetos, com foco na inclusão social, de acordo com regras e condições operacionais a seguir apresentadas.

 

Objetivos:
  • apoiar projetos de geração de emprego e renda para entidades que não possuam capacidade de endividamento, mediante interveniência de parceiros estratégicos;
  • apoiar, de forma complementar, as fontes de um projeto reembolsável, nos casos previstos em Programas ou formalizados pelo BNDES por meio de instrumentos de cooperação;
  • apoiar, de forma complementar, investimentos não-reembolsáveis de geração de emprego e renda, do Governo Federal ou Estadual, ou de instituição de direito privado sem fins lucrativos, desde que vinculada a uma iniciativa do Poder Público.

Além dos casos anteriores, poderá ainda ser utilizado para apoio a investimentos nos seguintes segmentos:

  • de cunho predominantemente ambiental;
  • de caráter social nas áreas de saúde, educação e justiça, cujos benefícios favoreçam, no mínimo, cinco Estados ou duas regiões geográficas e sejam direcionados, prioritariamente, às populações de baixa renda, ou seja, no mínimo 50% da capacidade do projeto seja para atendimento gratuito da população;
  • investimentos que se situem no entorno dos grandes projetos financiados pelo BNDES.

Clientes

  • Pessoas jurídicas de direito público interno, e
  • Pessoas jurídicas de direito privado, com ou sem fins lucrativos.

O apoio às pessoas jurídicas de direito privado, com ou sem fins lucrativos – modalidade de Apoio Continuado – será direcionado, exclusivamente, a Programas específicos ou a atividades produtivas com objetivo de geração de emprego e renda.

Os projetos de cunho predominantemente ambiental – modalidade Apoio Continuado – serão passíveis de apoio, às pessoas jurídicas de direito público interno ou de direito privado sem fins lucrativos.

 

Empreendimentos Apoiáveis

Serão passíveis de apoio os investimentos de caráter social nas áreas elencadas, que atendam a um ou mais dos objetivos relacionados abaixo e que sejam sustentáveis, ou seja, que tenham capacidade de manutenção do projeto ou atividades apoiados mesmo após a fase de liberação dos recursos pelo BNDES, considerando os aspectos financeiros, sociais, ambientais, institucionais e de governança pertinentes.

  • Iniciativas que não possuam capacidade de endividamento, mas que sejam sustentáveis. Incluem-se: a) estabelecimento de parcerias institucionais para complementar fontes em projetos ou programas de geração de emprego e renda com recursos financeiros escassos, que sejam considerados prioritários, de acordo com as políticas públicas federais e/ou estaduais; b) fortalecimento de aglomerações produtivas, mediante financiamento de equipamentos coletivos; c) estruturação de economias locais e regionais em pólos turísticos, para geração de trabalho e renda; d) melhoria da capacitação técnica e da gestão de empresas autogestionárias apoiadas pelo BNDES e complementação de financiamentos a estas empresas de forma a equilibrar sua estrutura de capital.
  • Contribuir para a complementação de políticas de desenvolvimento regional e social de áreas de baixa renda, por meio de ações de apoio a tais políticas, compreendendo: a) modernização de gestão e de desenvolvimento institucional, por meio de ações consorciadas entre pequenos municípios, destinadas ao apoio à formação de redes visando à prestação de serviços de uso comum; b) desenvolvimento institucional orientado, direta ou indiretamente, para os agentes repassadores do Programa de Microcrédito – PMC.
  • Atuar na modernização da formatação, implementação, monitoramento e avaliação de programas e projetos ambientais; na recuperação, conservação e preservação do meio ambiente; bem como na preservação e disseminação de patrimônio científico e tecnológico.
  • Apoiar iniciativas inovadoras nas áreas de saúde, educação e justiça, em convergência com políticas públicas, com parcerias institucionais estabelecidas com entidades federais ou estaduais, que demonstrem capacidade de replicação e tenham abrangência.
  • Complementar programas do BNDES mediante o apoio a projetos ou ações que sejam prioritários e que necessitem de aporte de recursos não reembolsáveis.

Itens Financiáveis

Os recursos do Fundo Social serão destinados a investimentos fixos, inclusive aquisição de máquinas e equipamentos importados, sem similar nacional, no mercado interno e de máquinas e equipamentos usados; capacitação; capital de giro; despesas pré-operacionais e outros itens que sejam considerados essenciais para a consecução dos objetivos do apoio.

Nível de Participação

A participação máxima do BNDES será de até 100% dos itens financiáveis.

Na modalidade de Apoio Continuado, complementar a investimentos vinculados a iniciativas do Poder Público, a participação do BNDES será de até 50% do valor total dos recursos financeiros previstos para o projeto.

 

Encaminhamento

As solicitações de apoio são encaminhadas ao BNDES por meio de Carta-Consulta – preenchida segundo as orientações do Roteiro de Informações para Consulta Prévia (versões word 2000 ou word 95) – enviada pela empresa interessada, ao:

 

Roteiro de Informações para Consulta Prévia – versão word 2000

 

www.bndes.gov.br/produtos/download/roteiro_fundosocial_cp.doc

 

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES
Área de Planejamento-AP
Departamento de Prioridades-DEPRI
Av. República do Chile, 100 – Protocolo – Térreo
20031-917 – Rio de Janeiro, RJ

 

Fonte: http://www.bndes.gov.br/programas/sociais/fundo_social.asp

 

Prêmio FBB de Tecnologia Social está com inscrições abertas

O Prêmio Fundação Banco do Brasil (FBB) de Tecnologia Social está com inscrições abertas até o dia 29 de maio. A premiação identifica, certifica e divulga tecnologias sociais já implementadas em todo o país. Podem concorrer ao prêmio projetos de tecnologia social nas áreas de água, alimentação, educação, energia, habitação, meio ambiente, renda e saúde. Serão distribuídos oito prêmios de 50 mil reais cada, em um total de R$ 400 mil. A tecnologia social consiste em produtos, técnicas ou metodologias replicáveis, desenvolvidos na interação com a comunidade e que representam efetivas soluções de transformação social. Os projetos selecionados também serão incluídos no Banco de Dados de Tecnologia Social, que reúne experiências no setor. São cinco categorias: gestão de recursos hídricos, direitos da criança e do adolescente e protagonismo juvenil e participação das mulheres na gestão de tecnologias sociais. As inscrições podem ser feitas pelos sites www.fundacaobancodobrasil.org.br e http://www.tecnologiasocial.org.br/.

Para Inscriação

Prêmio de Ludicidade / Pontinhos de Cultura

A União, por intermédio do Ministério da Cultura, neste ato representada pela Secretaria de Programas e Projetos Culturais do Ministério da Cultura – SPPC/MinC, no uso de suas atribuições legais, em cumprimento ao disposto na alínea “b”, Inciso I, do Art. 3º da Lei nº 8.313, de 23 de dezembro de 1991, torna público o presente Edital de seleção e concessão do Prêmio de Ludicidade / Pontinhos de Cultura.

 

A Ação Ludicidade / Espaços do Brincar tem como objetivo promover uma política nacional de transmissão e preservação da Cultura da Infância, por meio de ações que fortaleçam os direitos da criança segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, sensibilizando e capacitando profissionais de instituições públicas governamentais e não governamentais para a implantação e/ou continuidade de ações lúdicas em espaços denominados “Pontinhos de Cultura”.

 

O Prêmio Ludicidade / Pontinhos de Cultura tem como objetivo premiar entidade sem fins lucrativos, legalmente constituídas, e instituições governamentais estaduais, distritais e municipais que atuam com propostas sócio-cultural-artístico-educacionais que assegurem os direitos das crianças e adolescentes segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente.

 

O Edital conceder até 200 (duzentos) prêmios no valor de R$ 18.000,00 (dezoito mil reais) cada a entidades sem fins lucrativos, legalmente constituídas, e instituições governamentais estaduais, distritais e municipais que atuem na(s) área(s) sócio-cultural-artístico-educacionais no seguimento da Criança e Adolescente ou que estejam envolvidos em parceria com escolas, universidades públicas ou demais instituições com o objetivo de promover uma política nacional de transmissão e preservação da Cultura da Infância e da adolescência, por meio de projetos e ações que assegurem seus direitos segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, principalmente no que se refere ao capítulo II.

 

“Capítulo II – Do Direito à Liberdade, ao Respeito e à Dignidade

Art. 15. A criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade como pessoas humanas em processo de desenvolvimento e como sujeitos de direitos civis, humanos e sociais garantidos na Constituição e nas leis.

Art. 16. O direito à liberdade compreende os seguintes aspectos:

I – ir, vir e estar nos logradouros públicos e espaços comunitários, ressalvadas as restrições legais;

II – opinião e expressão;

III – crença e culto religioso;

IV – brincar, praticar esportes e divertir-se;

V – participar da vida familiar e comunitária, sem discriminação;

VI – participar da vida política, na forma da lei;

VII – buscar refúgio, auxílio e orientação.

Art. 17. O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.

Art. 18. É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.”

 

Os proponente que desejarem participar do processo de seleção do Prêmio Ludicidade – Pontinhos de Cultura deverão inscrever uma iniciativa sócio-cultural-artístico-educacionais relacionadas com os saberes e fazeres da Cultura da Infância, sejam realizadas em parceria com entidades que atuam tenham como objetivo promover uma política nacional de transmissão e preservação da Cultura da Infância.

 

As inscrições  deverão ser enviados à Comissão de Avaliação do Prêmio Ludicidade / Pontinhos de Cultura, impressos e assinados, no período de 24 de setembro de 2008 a 08 de novembro de 2008, fazendo constar do endereçamento:

 

PRÊMIO LUDICIDADE / PONTINHOS DE CULTURA

COMISSÃO DE AVALIAÇÃO

Caixa Postal nº 8775 – SHS – Quadra 02 – Bloco B

CEP: 70.312-970 – Brasília / DF

 

 

 

 

Edital

http://www.cultura.gov.br/site/wp-content/uploads/2008/09/edital_ludicidade_publicado.pdf

Formulário

http://www.cultura.gov.br/site/wp-content/uploads/2008/09/anexo-2_formulario.doc

Requerimento

http://www.cultura.gov.br/site/wp-content/uploads/2008/09/anexo-1_requerimento.doc

Declaração

http://www.cultura.gov.br/site/wp-content/uploads/2008/09/anexo-3_declaracao.doc