Foi dada a largada! inscrições abertas para o 4º doc futura

Entre os dias 18 de abril e 3 de junho, estão abertas as inscrições para o  DOC Futura, pitching que vai selecionar um projeto de documentário de 52 minutos para coprodução e exibição no Canal Futura. É uma ótima oportunidade de explorar temáticas provocadoras, instigantes e, em geral, pouco abordadas na mídia, mas de grande valia para a construção de uma sociedade mais igualitária e justa.

O projeto vencedor receberá o valor máximo de R$115 mil, verba que deve incluir todas as etapas de formatação, conteúdo, pesquisa, direitos autorais, produção, realização e finalização do documentário. O Doc Futura dará liberdade para que o realizador busque o olhar mais original e fora do lugar-comum, sobre temas relacionados a Direitos Humanos, com foco em Educação. O público-alvo é livre.

Baixe o edital com o regulamento e a ficha de cadastro

A relação completa dos projetos selecionados para apresentação à banca examinadora será divulgada no dia 14 de junho.

O pitching acontece no dia 26 de junho, com divulgação do vencedor no dia 27 de junho.

Fique atento ao cronograma:

Inscrições: 18 de abril até 3 de junho

Divulgação dos selecionados: 14 de junho

Pitching: 26 de junho – quarta-feira

Divulgação do projeto escolhido: 27 de junho – quinta-feira

Fonte: Canal Futura

Anúncios

Instituto Claro financia projetos inovadores na área social e cultural

Instituto Claro, financiado pela empresa de telefonia homônima, publicou o Edital Instituto Claro – Novas Ideias para o que temos ao Redor, com objetivo de identificar e fomentar iniciativas que estimulem os jovens de ambientes urbanos a aplicar e compartilhar suas criações na melhoria de suas comunidades e dos espaços onde vivem. Serão apoiados projetos de organizações da sociedade civil que atuem na área social ou cultural, e os valores financiados variam de 60 mil a 175 mil reais.

Os projetos na área social devem buscar estimular o jovem a criar e aplicar novas soluções sociais para a melhoria de sua comunidade e dos espaços onde vive, e é aberto para  organizações em todo o país. Cada instituição pode apresentar mais de um projeto

Já o financiamento para a área de cultura do Instituto Claro foca projetos que estimulem o jovem a melhorar a comunidade e os espaços onde vive por meio de suas expressões artísticas e culturais, e são restritos a organizações dos Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Em todo os casos, o prazo de inscrição é dia 10 de maio e o envio de projetos deve ser feito online.

Todos os detalhes estão nesta página.

 

Edital para proteção de transgêneros, contra a violência e pelo combate à impunidade

Escritório de Democracia, Direitos Humanos e Trabalho (DRL), do Departamento de Estado do Governo dos Estados Unidos, lançou um edital para apoio financeiro a organizações que atuam para proteger e promover os direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT). Estão disponíveis 450 mil dólares, cerca de 850 mil reais.

O financiamento provém do Fundo de Equidade Global americano e o DRL busca propostas que a) fortaleçam os esforços da sociedade civil para documentar casos de violência e o processo de investigação (ou a ausência dele); b) garantam que pessoas transgêneras tenham representação jurídica adequada; c) apoiem organizações locais da sociedade civil na busca por reparação a partir de mecanismos regionais e internacionais de direitos humanos; e d) quando possível ou apropriado, capacitem para a sensibilização de agentes da lei.

Os projetos devem ter duração de um a três anos e podem ser enviados por organizações do mundo todo, sendo permitido mais de uma proposta por organização. Porém, é importante registro no sistema do governo norte-americano www.grants.gov o que, de acordo com o edital, pode levar tempo na primeira vez.

O prazo para envio de propostas é dia 2 de maio, no horário EST americano. Elas devem ser enviadas em inglês, e a página para saber informações completas sobre essa oportunidade pode ser acessada aqui.

Fonte: ABCR

Caixa seleciona projetos culturais

A CAIXA abriu inscrições para selecionar e patrocinar projetos culturais por todo o Brasil em 2014.

Estão abertos editais dos seguintes programas:

OCUPAÇÃO DOS ESPAÇOS DA CAIXA CULTURAL

O Programa se desenvolve por meio de seleção pública anual de projetos, em âmbito nacional, com objetivo de preencher a pauta dos teatros, galerias, cinemas, nos segmentos de teatro, música, dança, pintura, escultura, fotografia, cinema, mímica, instalações, videoinstalações, intervenções.

FESTIVAIS DE TEATRO E DANÇA

A seleção de projetos é realizada de modo a contemplar grupos e espetáculos de teatro e dança, de aprimorar e de difundir técnicas, métodos e linguagens, de todas as regiões brasileiras, com objetivo de incentivar e promover a circulação do teatro e da dança, de fomentar o intercâmbio de idéias, de artes, de cultura,  e de promoção da inclusão social e do desenvolvimento humano.

ARTESANATO BRASILEIRO

O artesanato brasileiro é conhecido por sua riqueza cultural. Por ser mais difundido em lugares afastados dos grandes centros, muitas vezes não consegue o devido reconhecimento e não tem acesso à comercialização.

O programa tem por foco o desenvolvimento de comunidades artesãs e de sua sustentabilidade, a valorização do artesanato tradicional e da cultura brasileira, contemplando todo o processo produtivo, desde a aquisição de matéria-prima até a comercialização do produto.

Inscrições até 25/05 pelo site http://bit.ly/12nyazd .

Aberta a seleção para projetos de enfrentamento à violência contra a mulher

Até o dia 22 de maio, governos e instituições privadas, sem fins lucrativos, poderão enviar projetos sobre ações de enfrentamento à violência contra as mulheres para a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), da Presidência da República.

As propostas deverão ser inseridas no Portal de Convênios – Siconv – até a data prevista, quando serão completados os 45 dias de seleção. As iniciativas deverão estar vinculadas ao Programa de Promoção da Autonomia e Enfrentamento à Violência.

Órgãos da administração pública direta e indireta dos estados, Distrito Federal e municípios não poderão apresentar propostas inferiores a R$ 100 mil. Para execução de obras e serviços de engenharia, o valor mínimo é de R$ 250 mil. Deverá ser estabelecido o período de 24 meses como prazo mínimo para a execução dos projetos, exceto aqueles acordados com temporalidade inferior.

 

Áreas de financiamento

O edital propõe como áreas a serem financiadas as delegacias de atendimento às mulheres, os centros especializados, os serviços de abrigamento, os juizados, as promotorias, as defensorias públicas, os centros integrados, os centros de atenção a migrantes e demais serviços de atendimentos às vítimas da violência doméstica, tráfico e exploração sexual.

Entre o apoio às ações educativas e preventivas de combate à violência estão, campanhas, seminários, encontros e mobilizações. Produção de estudos, pesquisas – por meio da construção de indicadores que permitam maior monitoramento -, avaliação e elaboração das políticas, além da sistematização e monitoramento de dados sobre violência de gênero no Brasil.

Assim como realização de cursos, treinamentos e capacitações para as vítimas, lideranças comunitárias e/ou servidores e servidoras que integram a rede de enfrentamento à violência. A produção de estudos e pesquisas para enfrentamento à violência, em especial à exploração sexual e ao tráfico de mulheres, para a promoção dos direitos sexuais e reprodutivos e desconstrução dos estereótipos e mitos relacionados à sexualidade das mulheres também receberão financiamento.

Avaliação

Os projetos serão avaliados por comissão técnica da Secretaria de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, da SPM, por critérios relacionados à caracterização geopolítica (áreas de fronteira, próximas a obras prioritárias do Programa de Aceleração do Crescimento, rotas de turismo sexual e tráfico de mulheres e abrangidas por programas sociais do governo federal, entre eles Brasil em Miséria, Territórios da Cidadania e Minha Casa, Minha Vida), à vulnerabilidade e ocorrência de violência contra as mulheres na localidade em questão, a municípios com população superior a 50 mil habitantes, com comprovação de adesão ao Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, e à capacidade técnica e gerencial de manter serviços para municípios com população inferir a 50 mil habitantes.

Fonte: www.brasil.gov.br

Estão abertas três chamadas de apoio a atividades sustentáveis desenvolvidas por associações, cooperativas, extrativistas e agentes de extensão rural

ASCOM/ SFB

O Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal (FNDF), gerido pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB), e o Fundo Clima, gerido pelo Ministério do Meio Ambiente, abriram em parceria três chamadas de projetos para apoiar atividades sustentáveis na Amazônia. Serão empregados até R$ 2 milhões para o fomento dessas ações. O prazo termina em 5 de maio.

A primeira chamada é voltada para associações e cooperativas comunitárias que queiram receber capacitação e assessoria para gerir seus empreendimentos florestais. Podem concorrer interessados do Amapá, Amazonas, Pará e Rondônia.

O gerente de Fomento e Capacitação do SFB, João Paulo Sotero, explica que o intuito é contribuir para a melhoria dos processos e amadurecimento dos negócios florestais. “O empreendimento mais organizado tende a gerar mais benefícios sociais, econômicos e a manter a floresta em pé. Fortalecer os empreendimentos florestais comunitários é fortalecer o uso sustentável da floresta”, afirma.

PRODUTOS DA AMAZÔNIA

Extrativistas situados em unidades de conservação federais que comercializem produtos florestais – seja madeira ou produtos não madeireiros como açaí, castanha, copaíba ou andiroba – são o foco da segunda chamada de projetos. Serão apoiados projetos no Amazonas e no Pará por um período de até 24 meses.

“Entre outras ações, será elaborado um plano de negócios participativo, e prestada assessoria para acesso a políticas de compras públicas e formalização de contratos de comercialização”, afirma a gerente de Florestas Comunitárias do SFB, Elisangela Sanches Januário.

MANEJO FLORESTAL

A terceira chamada de projetos é destinada aos agentes de assistência técnica e extensão rural de instituições públicas ou privadas sem fins lucrativos, com interesse na formação profissional relacionada ao manejo florestal para atuação na Amazônia. Será oferecida uma capacitação de 160 horas que incluirá temas como organização social para o manejo florestal; manejo florestal madeireiro e não madeireiro, e acesso a crédito.

O coordenador do FNDF, Fábio Chicuta, ressalta que o fomento acontece em duas etapas. “Na primeira, o SFB busca caracterizar a demanda dos beneficiários por meio das chamadas. Na etapa seguinte, o órgão realiza licitação pública para contratar instituições especializadas em cada tema, que irão executar os serviços àqueles que tiveram seus projetos selecionados”, diz.

O FNDF tem a missão de fomentar o desenvolvimento de atividades florestais sustentáveis e promover a inovação tecnológica no setor. Foi regulamentado em 2010 e, desde então, apoia, individualmente e em conjunto com o Fundo Clima, 98 projetos nos biomas Mata Atlântica, Amazônia e Caatinga.

Acesse as Chamadas e outras informações aqui.

Fundação Bill& Melinda Gates financia projetos com inovações em saúde e desenvolvimento

A Fundação Bill & Melinda Gates em parceria com as Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) de 17 estados brasileiros está oferecendo 100 mil dólares por meio do programa Grand Challanges Explorations (GCE) à propostas inovadoras e arrojadas para solucionar grandes desafios na área de saúde, agricultura e desenvolvimento.

As inscrições para a 11ª edição do GCE estão abertas até 7 de maio a jovens estudantes, pesquisadores e a empreendedores da iniciativa privada. O GCE realiza duas chamadas por ano e contempla aproximadamente 80 projetos por rodada. Nesta edição, são 5 tópicos abordados : O Conceito de Saúde Única: a Convergência entre as Saúdes Animal e Humana na Busca Por Novas Soluções; Aumentando a Interoperabilidade de Dados Sociais de Qualidade; Desenvolvimento de uma nova geração de preservativos; Novas Abordagens para Detecção, Tratamento e Controle de Doenças Tropicais Negligenciadas e Inovações que Facilitem o Trabalho de Mulheres em Pequenas Lavouras. Para uma descrição completa dos tópicos em português clique aqui.

O candidato deve apresentar sua proposta de forma clara em apenas duas páginas, explicando por que ela é inovadora, que impacto ela pode gerar e como a ideia vai demonstrar sua aplicabilidade. Para inscrever e enviar seu projeto, é preciso criar uma conta do GCE em: https://gce.gatesfoundation.org/_layouts/GCE/Pages/login.aspx

Fonte: GIFE