Grupo de Trabalho da Aprendizagem se reúne pela primeira vez

Representantes do governo e da sociedade civil têm sessenta dias para consolidar as propostas e organizar o Fórum Permanente de Aprendizagem Profissional, que será realizado entre os dias 11 e 13 de novembro

Brasília, 04/09/2008 – O Grupo de Trabalho da Aprendizagem se reuniu pela primeira nesta quara-feira (3), no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), depois da assinatura da Portaria nº 557 que designou a criação do mesmo. Durante o encontro, os representantes do governo e da sociedade civil apresentaram os avanços alcançados e discutiram as próximas ações para implantação do Fórum Permanente de Aprendizagem Profissional, a ser realizado entre os dias 24 e 26 de novembro.

Entre as propostas do grupo, está a criação de mecanismos para estimular as empresas a contratarem; ampliação do número de ofertas e jovens atendidos; elaboração de mais ações de caráter permanente; articulação nas esferas do governo e da sociedade civil organizada; estabelecimento de parcerias para fomento das atividades relacionadas a setores econômicos específicos; programas de aprendizagem coorporativos e incentivo às empresas do setor de Tecnologia da Informação para estender a aprendizagem, que hoje é de nível básico, para o nível técnico.

Um dos pontos mais discutidos na reunião foi o lançamento do Selo de Responsabilidade Social, que será dado àquela empresa que participar do programa. O Selo já existe, mas nas próximas reuniões serão discutidos os critérios específicos para obtenção do mesmo na Aprendizagem.

Manual da Aprendizagem – Como resultado de reuniões anteriores à assinatura da Portaria, a Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT), do MTE, apresentou o Manual da Aprendizagem elaborado pela Secretaria, que está disponível para consulta pública até o próximo dia 19 de setembro. Até o final do mês, a SIT vai apresentar ainda uma cartilha com a padronização dos procedimentos da fiscalização para o cumprimento das cotas de aprendizagem pelas empresas. Consulte o manual, clicando aqui.

O secretário executivo do MTE, André Figueiredo, está coordenando as ações e está otimista com a criação do grupo. “Sabemos que os problemas da juventude acontecem em todo mundo, inclusive em países desenvolvidos, mas nós vamos criar todos os instrumentos possíveis para tornar a aprendizagem no Brasil um exemplo e atingir a meta de 800 mil jovens até 2010”, destacou.


Lei do Aprendiz –
A Lei 10.097 estabelece que todas as empresas de médio e grande porte contratem adolescentes e jovens entre 14 e 24 anos por meio de contrato especial de trabalho, o qual possui tempo determinado de, no máximo, dois anos. Em relação aos aprendizes com deficiência, não se aplica o limite de 24 anos idade para sua contratação.

De acordo com a legislação, a cota de aprendizes está fixada entre 5% e 15% por estabelecimento, e é calculada sobre o total de empregados cujas funções demandem formação profissional. Assim, os jovens beneficiários são contratados por essas empresas como aprendizes, ao mesmo tempo em que são matriculados em cursos de aprendizagem – em instituições qualificadoras reconhecidas – responsáveis pela certificação. Cabe ao Ministério do Trabalho e Emprego incentivar e fiscalizar o cumprimento da lei.

A jornada máxima de trabalho é de seis horas diárias para os que ainda não concluíram o ensino fundamental e recebam aulas de capacitação teórica, de acordo com as respectivas áreas de atuação. Para os demais, a jornada é de oito horas diárias.

Cursos de aprendizagem – Desde o último dia 16 de abril, já está disponível na página do MTE a oferta dos cursos de aprendizagem profissional para consulta de toda a sociedade. O Cadastro de entidades e cursos significa um ato concreto em favor da promoção dos direitos da juventude à qualificação profissional e ao emprego digno.

A partir de agora, os cursos registrados no Cadastro do MTE serão validados segundo as diretrizes curriculares estabelecidas pela Portaria Nº 615, assinada pelo ministro Carlos Lupi.

Mais do que fiscalizar o cumprimento da Lei 10.097/2000, o MTE quer promover o aumento da qualidade dos cursos e programas ofertados, valorizando também o investimento dos empregadores na formação de mão-de-obra qualificada. 

Até o momento já são seiscentos e trinta e dois cursos cadastrados, que serão analisados com o objetivo de orientar às entidades qualificadas sobre a eventual necessidade de adaptação de suas propostas curriculares e pedagógicas no nível de formação inicial, para que os jovens e empregadores alcancem melhores resultados ao final dos programas de aprendizagem.

 

Matéria publicada no site www.mte.gov.br

Anúncios

Um pensamento sobre “Grupo de Trabalho da Aprendizagem se reúne pela primeira vez

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s